Reading a book

Recentemente, comprei uma nova cópia de Meu máximo para mais alto, de Oswald Chambers.

Este é um livro que li muitas vezes nos últimos anos. Então, de repente, o Espírito Santo trouxe de volta a memória deste clássico e muitos pensamentos preciosos do passado. Vou compartilhar minhas reflexões a partir deste livro de tempos em tempos nos próximos dias. Parece até mesmo algo novo!

O primeiro capítulo que bati o olho foi Compreensão, não emoção . A base bíblica era de 2 Coríntios 5:7 que afirma que precisamos viver por fé e não por vista.

Recentemente, comprei uma nova cópia de Meu máximo para mais alto, de Oswald Chambers.

Este é um livro que li muitas vezes nos últimos anos. Então, de repente, o Espírito Santo trouxe de volta a memória deste clássico e muitos pensamentos preciosos do passado. Vou compartilhar minhas reflexões a partir deste livro de tempos em tempos nos próximos dias. Parece até mesmo algo novo!

O primeiro capítulo que bati o olho foi Compreensão, não emoção . A base bíblica era de 2 Coríntios 5:7 que afirma que precisamos viver por fé e não por vista.

De vez em quando, podemos ter uma percepção consciente da Presença de Deus, Sua atenção, Seu compromisso em nosso nome. No entanto, há ocasiões frequentes em que parece que Deus fechou o Céu! A maioria de nós prefere os tempos mais iluminados.

Estamos aqui como homens e mulheres, não como anjos semi-maduros, para fazer a obra do Reino neste mundo. Nós nascemos do alto. Gostamos de nos envolver com o poder do alto para resistir à provação.

SE TENTARMOS REVIVER OS RAROS MOMENTOS DE INSPIRAÇÃO, É UM SINAL QUE NÃO QUEREMOS DEUS. Estamos transformando em fetiche os momentos em que Deus veio e falou, e insistimos que Ele deve fazer isso novamente; ao passo que o que Deus deseja que façamos é andar pela fé.

NUNCA VIVA PARA OS MOMENTOS RAROS, POIS ELES SÃO SURPRESAS. Deus nos dará leves toques de inspiração para não corrermos o risco de sermos levados por esses momentos!

Meu espírito ficou realmente impressionado com as palavras do último parágrafo. Não me consideraria uma pessoa que estivesse sempre à procura de momentos raros. Eu encontro tal desejo em meu espírito por um mover do Seu Espírito “Faminta”, eu realmente procuro, espero, anseio por aqueles momentos de um mover distinto do Espírito.

Essas palavras são um bom lembrete de que é Deus que queremos e não apenas Seus sinais.

Ele é Aquele que buscamos.

Ele é Aquele que desejamos.

Sim, mesmo sem vê-lo.